Para sua empresa ter saúde financeira se faz necessário manter o caixa positivo e as contas em dia. As obrigações principais de uma empresa são: água, luz, aluguel, telefone, internet, folha de pagamento, fornecedores e tributos. Sem a manutenção destes a empresa entra em colapso.

Seguem ações que merecem ser aplicadas para que sua empresa seja saudável financeiramente e você possa dormir mais tranquilo:

– Saber precificar seus produtos: como estão as margens de seus produtos? Existe um cálculo do preço de venda? Você efetivamente tem lucro com eles ou sua margem não cobre nem seus custos? Isso pode parecer óbvio, mas por experiência, já analisei situações em que a empresa “pensava” ter uma margem e na verdade estava quase tendo prejuízo com a venda. A ação que deve ser feita é revisar seu preço de venda e conferir a tributação.

– Monitorar a inadimplência de seus clientes: se você vende a prazo esteja atento e mapeie os créditos a receber. Criar ações inteligentes de cobrança vão evitar que você tenha seu capital de giro na rua.

– Analisar seu ciclo operacional financeiro: confira se você paga seus fornecedores antes de receber de seus clientes. Esta ação simples é primordial. Calcule seu prazo médio de recebimento e confirme seu prazo médio de pagamento. Se houver um descasamento de dias você está com necessidade de capital de giro. Isso é bem mais comum do que se imagina e sua empresa acaba usando do limite do cheque especial ou antecipando capital por meio de linhas de crédito e pagando juros, que por vezes, seriam desnecessários.

– Não reduzir investimento em marketing: quando você sente que o fluxo de caixa não está adequado pensa logo em contenção de despesas. Este pensamento está correto. O que é preciso evitar é cortar o investimento em marketing. Isso mesmo! É a divulgação de seus produtos e serviços que fará seu ticket médio aumentar e assim você ter mais dinheiro em caixa. Explore a comunicação digital!

– Oferecer descontos aos clientes para compra à vista: quando você tem capital na mão consegue descontos maiores com seus fornecedores e comprar por menos ajuda na saúde financeira do negócio.

– Manter estoque just-in-time: atualmente os fornecedores disponibilizam pedidos mínimos. Utilize desta facilidade e não compre em grande quantidade se sua empresa não tiver um desconto que compense o aumento de estoque. Jus-in-time significa no tempo certo, do tamanho adequado. Deixe o fornecedor ter o custo de manutenção de estoque.

Analise sua empresa sobre estas perspectivas e faça um diagnóstico da saúde financeira dela. As finanças de uma empresa são como o sangue para o corpo humano: vital!

Caso precise de orientações específicas procure ajuda de um profissional especializado.

Aline da Rosa Lentz
Consultora Empresarial – Docente em Cursos Técnicos e Profissionalizantes.